A cidade


A cidade de Umbaúba está localiza-se a uma latitude 11º23'00" sul e a uma longitude 37º39'28" oeste, estando a uma altitude de 130 metros. Sua população estimada em 2012 era de 22.700 habitantes e é a segunda cidade a se encontrar quando se entra no estado de Sergipe pelo sul. Localizado às margens da BR-101, tem como vizinhos os municípios de Cristinápolis ao sul, Indiaroba à leste, Itabaianinha à oeste, e Arauá ao norte.
Tem como padroeira da cidade Nossa Senhora da Guia, cujos festejos em sua homenagem acontecem em 2 de fevereiro.
Possui uma área de 124,11 km².
Povoado muito antes de se tornar município, Umbaúba, segundo dados históricos, já foi palco de grandes conflitos entres estrangeiros e nativos. Foi no início do século XVII, nas proximidades do rio Guararema, que o explorador Belchior Dias Moreyra conseguiu um grande lote de terra cedido pela coroa portuguesa. Não existem informações concretas, mas há fortes indícios que os desentendimentos entre os exploradores e os índios tubinambás foram os primeiros passos para o povoamento do lugarejo.
A primeira aldeia surgiu por volta de 1860, em terras próximas a atual sede do município, na fazenda Sabiá, que era de propriedade do coronel Manoel Fernandes da Rocha Braque. Ainda pertencendo ao território de Vila do Espírito Santo (hoje Indiaroba), o local, que era cheios de *pés de umbaúba, foi fundamental para o surgimento do município.
Eram nas sombras das árvores que os viajantes e tropeiros que adentravam e saiam de Sergipe faziam suas paradas, tanto é que a parada ficou conhecida como “Descanso de Umbaúba”. Devido ao movimento, o ponto que ficava às margens do Riacho da Guia (atualmente povoado Dois Riachos), se tornou favorável a troca e venda de mercadorias. O nome do local era por causa de um estreito riacho de águas límpidas e brandas que banhava a região.
A devoção do coronel Manoel Fernandes por Nossa Senhora da Guia também fez surgir uma capela e, com o passar do tempo, novos moradores foram fixando residência na localidade. Mas foi somente em 1882 que a comunidade de Cristina (hoje Cristinápolis) se elevou a condição de Vila e, em uma manobra política conjunta a Itabaianinha, retirou o direito de posse de Umbaúba da antiga Vila de Espírito Santo.
Com o apoio do então presidente do Estado, Dr. Felisberto de Oliveira Freire, Vila Cristina conseguiu continuar com o monopólio na atividade comercial, o qual foi confirmado pelo Decreto nº 50, de 20 de junho de 1890. Mesmo assim, o povoado de Umbaúba foi crescendo e se desenvolvendo, para o descontento dos comerciantes da Vila e a felicidade de seu benemérito Manoel Fernandes, cujo sonho em ver surgir uma cidade à sombra das arvores de umbaúba não conseguiu realizar.
Em 1926, pela Lei nº 961, de 16 de outubro, foi criado o distrito de Umbaúba, com território pertencente à Vila Cristina. Mas foi somente em 2 de março de 1938, por força da Lei Federal nº 311, que a sede do distrito foi elevada à condição de Vila. Esta foi a mais importante decisão para os umbaubenses, uma vez que, a partir de então, estavam livres dos domínios administrativos de Cristinápolis.
O desenvolvimento agropecuário e o adiantado comércio foram decisivos para que o vilarejo alcançasse a categoria de cidade, o que aconteceu no governo de Leandro Maciel, em 6 de fevereiro de 1954, graças a Lei Estadual nº 525-A. A partir daí a história tomo seu curso e Anfilófio Fernandes Viana, bisneto dos fundadores do “Descanso de Umbaúba” se tornou o primeiro prefeito do município.
Embaúba ou Umbaúba é designação comum a várias espécies de árvores, principalmente do gênero Cecropia, podendo chegar a 15 m de altura. Pertence ao estrato das plantas pioneiras da Mata Atlântica. É também chamada de árvore da preguiça, pois seus frutos são alimento preferido por este animal. As embaúbas são árvores leves, pouco exigentes quanto a solo, e muito comuns em áreas desmatadas em recuperação. Possuem frutos atrativos a várias espécies de aves, são capazes de se dispersarem rapidamente. Como possuem caule e ramos ocos, vivem em simbiose com formigas especialmente as do gênero Azteca, que habitam no seu interior e que as protegem de animais herbívoros - daí seu nomes castelhanos de hormigo ou hormiguillo. Ela também é conhecida por estas denominações: embaúba (embaúva), imbaúba (imbaúva), umbaúba (umbaúva), ambaúba, embaíba, imbaíba.

Povoados de Umbaúba

Amargosa, Barrinha, Campinhos, Cipozinho, Colônia Sergipe, Dois Riachos, Estiva, Eugênia, Guararema, Imbé, Macaquinho, Major, Matadouro, Matarongome, Matinha (este conhecido pelo seu comércio de fumo), Palmeira, Pau Amarelo, Pedra do Rumo, Ponto Azul, Queimado Grande, Recanto, Riacho do Meio, Sabiazinho, Sol Nascente, Tabuleiro dos Cágados, Tauá e Vitória.
Distância da Capital Aracaju..........98 km
Área territorial...................121 km²
Nº de povoados.................27 (vinte e sete)
População........................22.660 habitantes (Censo 2010)